*Mágica*

(ou o dia em que consegui fazer massinha com as minhas próprias mões esquerdas)

Tudo começou com a Soraya postando um link de uma massinha no Twitter. Postei no Facebook, e logo a Patricia e a Mítia também comentaram que sempre fazem, que é ótima, que fica igual Play-Doh…

E eu, curiosa que sou, me armei de coragem e no sábado passado coloquei (literalmente) a mão na massa, e enfrentei esse grande desafio.

O resultado:

Por mais incrível que possa parecer (sério, até eu me surpreendi que consegui acertar e logo de primeira), funcionou direitinho, ficou perfeita.

A receita mágica:

– 1 xícara de farinha de trigo;
– 1 xícara de água;
– 1/4 de xícara de sal;
– 2 colheres de chá de cremor de tártaro (que é um pó para fazer doces, que a gente encontra em lojas de produtos para festas/confeitaria);
– 1 colher de sopa de óleo vegetal
– Corante alimentício;
– Aromatizante para alimentos.

Para fazer 6 cores diferentes eu fiz 3 receitas.

Misturei tudo (pra fazer essa quantidade bati na batedeira), menos o corante. Depois, separei quantidades iguais em 6 recipientes e fiz um por vez. Quando coloquei a massa na panela é que coloquei a cor, individualmente.

Aí liguei o fogo baixo e fui mexendo… quando começou a grudar na colher, fui desgrudando com outra e continuei desgrudando da panela, até parecer que está seca (mas não muito, porque senão fica dura… logo que parece que não tem mais água).

Quando chegou nesse ponto, tirei do fogo. A verde tirei antes, ficou meio melequenta, mas sem stress, coloquei de novo na panela tipo uns 15 segundos e pronto.

Dicas valiosas das experts no assunto:

1. Misturar todos os ingredientes fora do fogo e deixar a massa bem lisinha antes de aquecer.

2. O ponto ideal é quando a bolota, por fora, estiver sem grudar e, por dentro, ainda meio molinha (dá pra verificar amassando com a colher ainda na panela).

3. É essencial sovar, na pia, ainda quente, pra deixar a massa bem lisinha. Sovar até quase esfriar e depois guardar bem fechada.

4. Não pode guardar quente porque ela vai suar e amolecer.

5. Misturar o corante alimentício aos poucos, antes de acender o fogo, pra não errar no tom. Lembre-se que depois de cozida a massa escurece um pouco.

6. Não deixar de colocar a essência, porque a massa não tem um cheiro lá muito agradável. As meninas indicam morango e baunilha (eu usei morango).

–> A massinha dura de 4 a 6 meses, se fechada em potes com tampas.

Parece que dá trabalho, né? Mas, surpresa, não dá. É super fácil e rápido de fazer (só precisa pegar o jeito de acertar o ponto), e a massinha não deixa nada a desejar às industriais. Fica super macia e linda!

Daí você pergunta: mas pra que FAZER massinha, se a gente pode ir em qualquer loja e comprar um jogo com 4 cores por 20 conto em qualquer loja de brinquedo?

Sei lá. Porque é legal fazer. Porque hoje tudo é comprado, e poder FAZER um brinquedo pra minha filha, e ela achar o máximo a mãe conseguir fazer massinha, é inestimável. Enfim, por várias razões, sei lá…

Bom, é isso, acho que já posso passar pro estágio avançado e fazer as próximas com gliter, como a Patricia sugeriu…

comments
%d blogueiros gostam disto: