*Conversinha de idosas*

Rúbia e eu, no telefone, quinta passada:

– E aí, como você tá?
– Indo, né… do mesmo jeito… to fazendo mais uns exames pra ver a causa do cisto…
– Ai, será que desse jeito você chega até o final do ano?
– Sabe que eu não sei?
– Então vou tirar meu pretinho básico do armário…

Pois é. Como diz a Liliany, quanto mais a gente fuça, mais acha. Além do maldito cisto hemorrágico, como se não me faltasse mais nada, descobri que tenho Tireoidite de Hashimoto.

Chique né? Então, quer dizer que eu produzo anticorpos pra matar minha tireóide. Será isso uma tendência suicida?

*Cisto. Onde?*

Pensando no assunto, descobri que o que mais me amedronta com relação à menopausa não são os sintomas físicos), mas sim porque a minha capacidade de gerar estará acabando.

Pra mim é o mesmo que dizer: “Pronto. Seus óvulos acabaram!”. Talvez por causa de toda a situação complicada que vivi para poder engravidar, em cada ciclo menstrual eu sempre pensei: “Um óvulo a menos, desperdiçado”. Na época do tratamento, quando descobri que tinha 9 folículos e deles somente 2 haviam fertilizado, adivinha se já não estava fazendo as contas do desperdício!