*Ou isto ou aquilo*

Janeiro é o mês mundial das decisões. Todo mundo decide mudar alguma coisa. Mas eu, que sou avessa a mudanças, fico só pensando….

Não sei se faço pós ou se faço outra faculdade. Não sei se presto um concurso ou continuo advogando. Não sei se continuo na área jurídica ou invento outra coisa… Não sei se continuo trabalhando ou viro “do lar”… Não sei mais nada…

Fico só refletindo, analisando, ponderando… será que eu faço?

É bem aquela coisa da poesia da Cecília Meirelles: não consigo decidir o que é melhor, se isto ou aquilo!!!

*Lua de Cristal*

Quando eu era criança, o Natal era uma data especial, senão a mais especial do ano. Eu aguardava ansiosamente pelo mês de dezembro…. era época de ajudar a minha mãe a armar a árvore imensa, cheia de bolas coloridas, na sala de casa, brincar com os personagens do presépio (minha mãe fazia questão de armar a cidade inteira, com pescadores, pastores, guardas, etc, etc e etc…), roubar as frutas cristalizadas do panetone, escrever a cartinha para o Papai Noel…

Não sei explicar a sensação natalina, mas era uma coisa quase palpável. As cores, as luzes, o cheiro… ah, o cheiro dos natais da minha infância…

*Felicidade*

“Tudo é tão simples, e ao mesmo tempo tão complicado! Simples, porque basta mudar de atitude: não vou mais buscar felicidade. A partir de agora sou independente, vejo a vida com os meus olhos, e não com o de outros. Vou buscar a aventura de estar viva.

E complicado: por que não vou procurar a felicidade, se as pessoas me ensinaram que este é o único objetivo que vale a pena? Por que vou me arriscar em caminho onde outros não se arriscam?

Afinal de contas, o que é felicidade?

*Não aceita crianças*

Photobucket - Video and Image Hosting

Eu bem que queria sair da fase post-azedo em que me encontro, mas ainda não foi dessa vez…

Procurando hotéis e pousadas para as nossas férias, me deparei com a frase, no fim da descrição de alguns deles: “Não aceita crianças”.

Fiquei perplexa. Como assim, não aceita crianças? Já acho um absurdo não aceitarem animais, porque afinal, pra muita gente, como eu, o cãozinho ou gatinho são membros da família e é muito difícil ter que deixá-los aos cuidados de outra pessoa nas férias…

*Teoria sobre nome*

Photobucket - Video and Image Hosting

Dentre todas as responsabilidade que se tem ao gerar um filho, uma das mais importantes é escolher o seu nome.

Parece uma das coisas mais simples, mas não é. Tenho pra mim que o nome faz parte da identidade e da personalidade da pessoa. Daí a importância de escolhê-lo com cuidado.

Penso eu, que vários pontos devem ser observados, além da simplicidade (imagina quando a criancinha começar a escrever, ter que colocar vários k, y, w no seu nome…), a beleza, também o significado, e pra quem acredita, até o aspecto numerológico.

*Conversinha de idosas*

Rúbia e eu, no telefone, quinta passada:

– E aí, como você tá?
– Indo, né… do mesmo jeito… to fazendo mais uns exames pra ver a causa do cisto…
– Ai, será que desse jeito você chega até o final do ano?
– Sabe que eu não sei?
– Então vou tirar meu pretinho básico do armário…

Pois é. Como diz a Liliany, quanto mais a gente fuça, mais acha. Além do maldito cisto hemorrágico, como se não me faltasse mais nada, descobri que tenho Tireoidite de Hashimoto.

Chique né? Então, quer dizer que eu produzo anticorpos pra matar minha tireóide. Será isso uma tendência suicida?